Doença que vitimou o ator Chadwick Boseman acomete homens e mulheres igualmente e tem cura

Chadwick Boseman ficou conhecido no cinema como o Pantera Negra

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Embora o estado de saúde do ator norteamericano Chadwick Boseman já fosse pauta em alguns tablóides devido à uma recente e abrupta perda de peso, a morte do intérprete do Pantera Negra, ocorrida no fim de agosto, foi uma surpresa para fãs em todo o mundo. Isso ocorreu porque o ator nunca revelou publicamente que lutava contra um câncer de cólon agressivo há quatro anos. A fatalidade trouxe para os holofotes uma série de dúvidas sobre a doença: quais são os principais sintomas? Há tratamento? Como prevenir?

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de cólon e reto – também conhecido como câncer colorretal ou câncer de intestino – acomete mais de 40 mil pessoas por ano, com uma incidência muito próxima entre homens e mulheres. Os principais fatores de risco para que a doença se desenvolva são excesso de peso corporal, alimentação pobre em fibras, tabagismo e consumo excessivo de álcool.

Este tipo de câncer, portanto, costuma ser resultado de um estilo de vida baseado em vícios, comidas ultraprocessadas e sedentarismo, podendo ser também uma evolução de outras doenças relacionadas ao intestino, como a doença de Crohn e a retocolite ulcerativa crônica. Mas como detectar possíveis sinais de um quadro cancerígeno?

Por ser uma doença relacionada ao aparelho digestivo, a maioria dos sintomas está ligada a desconforto na região abdominal ou mudanças corporais. Entre os indicativos mais comuns estão dores abdominais, alteração do hábito instestinal (diarria e prisão de ventre), perda de peso, presença de sangue e alteração na forma das fezes. A sensação de fraqueza, ligada ou não a uma anemia, também é uma constante nesse tipo de câncer.

 

A prevenção é melhor forma de combate

 

Diagnóstico

Ainda que não apresentem sintomas aparentes, é essencial que pacientes com idade igual ou maior a 50 anos façam exames periódicos para evitar o desenvolvimento da doença, pois o câncer colorretal tem boas chances de cura quando descoberto precocemente.

Assim como em outros tipos da doença, o tratamento pode ser feito por cirurgia, radioterapia e/ou quimioterapia, a depender das especificações de cada caso. Porém, é necessário estar sempre atento, visto que este tipo de câncer pode se espalhar e gerar metástases para o fígado, pulmão e outros órgãos, reduzindo as chances de cura.

 

 

Alimentação saudável faz muita diferença

 

 

 

Prevenção

Ter uma rotina saudável, com prática de atividades físicas e alimentação saudável e rica em fibras, é o ponto de partida para evitar o aparecimento do câncer colorretal. Evitar fumar e se expor ao tabagismo, bem como manter o peso corporal adequado, também são fatores importantes para manter a saúde em dia. Porém, lembre-se: caso precise readequar sua dieta ou rotina de atividades físicas, não deixe de procurar orientação qualificada, através do atendimento de nutricionistas, nutrólogos e profissionais de Educação Física.